Resenha: O diário de Zlata- A vida de uma menina na guerra

SAM_1764

Sinopse: Zlata tem onze anos e vive em Sarajevo. Mantém um diário, no qual vai registrando seu cotidiano. Mas a guerra eclode na ex-Iugoslávia e irrompe no diário da menina. As preocupações do dia-a-dia desaparecem diante do medo, da raiva, da perplexidade. O universo de Zlata desmorona. “Domingo, 5 de abril de 1992Dear Mimmy,Estou tentando me concentrar nos deveres (um livro para ler), mas simplesmente não consigo. Alguma coisa está acontecendo na cidade. Ouvem-se tiros nas colinas. […] Sente-se que alguma coisa vai acontecer, já está acontecendo, uma terrível desgraça.”

Em setembro de 1991, Zlata começa a escrever um diário, o qual apelida de Mimmy. A vida dela era normal, suas únicas preocupações eram as notas da escola. Amigos, aulas de música, livros, top models e a MTV era o que ocupava seu tempo; até o pesadelo começar, em abril de 1992. Saravejo, cidade onde ela morava, começa a entrar  em clima de guerra, ( Guerra da Bósnia) o que faz a vida de Zlata e todos ao seu redor virarem de cabeça para baixo: as escolas são fechadas,  não há água, luz ou gás; falta comida, os lugares que ela ama vão sendo destruídos, alguns de seus amigos são mortos; mas com uma coragem imbatível, ela consegue continuar a estudar piano, ler, a festejar algumas ocasiões, sempre registrando em seu diário:

Domingo, 6 de outubro de 1991

“Eu assisto o TOP 20 americano na mtv. Impossível lembrar quem está em que posição.
Estou me sentindo superbem porque comi uma pizza Quatro Estações com presunto, queijo, catchup e champignons. Estava suculenta. Papai comprou a pizza no Galija (é a pizzaria do bairro). Com certeza é por isso que não memorizei nada da classificação, estava ocupada demais comendo minha pizza.
Sei todas as minhas lições e amanhã posso ir à escola com o pé nas costas, sem perigo de tirar nota ruim. Aliás, mereço notas boas pois passei todo o fim de semana revendo a matéria. Nem desci para o parque para brincar com minhas amigas. Ultimamente o tempo está bonito e a gente quase sempre fica jogando queimada, conversando e passeando. Ou seja, a gente se diverte.”

22 de outubro de 1991

“ Será que depois de passar pela Eslovênia e pela croácia, os ventos da  guerra vão sobrar na Bósnia-Herzegóvina?… Não, não é possível.”

Quando se fala da guerra, Zlata se torna mais madura em suas palavras, mas com a mesma sensibilidade, percebendo e relatando os horrores da guerra e os efeitos que eles traziam em sua família e na cidade. Ela lamenta o que o sofrimento fez com os pais, os lugares da cidade que mais gostava sendo destruídos…

O livro mostra a reação e perspectiva inocente de uma criança sobre guerras e sofrimento; e é inevitável compará-lo com o diário de Anne Frank, apesar de as anotações da Anne terem sido publicadas apenas quando havia terminando a guerra, diferentemente do diário de Zlata.

SAM_1756

SAM_1758 Fotos de Zlata quando pequena.

Eu tentei conciliar o cenário das fotos com o tema principal do livro, a guerra. Funcionou? hehe

SAM_1754 Um pouco da descrição da guerra na introdução do livro.

SAM_1750SAM_1751 Em partes como essa, pode-se visualizar as anotações de Zlata em seu diário, sua caligrafia e idioma. ( O livro é da biblioteca da minha escola, por isso a etiqueta e tombo.)

SAM_1760  Fotos de Zlata buscando suprimentos com seu pai.

SAM_1748

E pra quem tem curiosidade de saber como a Zlata está atualmente…

zlata 3

Zlata e sua família refugiaram-se em Paris em dezembro de 1993. Após passar uma temporada na Inglaterra, transferiram-se para Dublin, na Irlanda.Em 2001, ela obteve bacharelado em ciência humanas pela Universidade de Oxford, e em 2004, mestrado na área de saúde pública em estudos da paz internacional pelo Trinity College, em Dublin. Foi convidada por diversas escolas e universidades em todo o mundo para falar sobre sua experiência, e já trabalhou em diversas ocasiões com diferentes organizações, como a Casa Anne Frank, a ONU e a UNICEF, além de ter sido três vezes jurada do Prêmio de Literatura para Crianças e Jovens em nome da Tolerância, da UNESCO.Em 2008 publicou Vozes Roubadas – Diários de Guerra, e esteve no Brasil divulgando o novo livro.

Eu também achei um twitter que parece ser dela, será? @ZlataFilipovic

Alguém aqui já leu ou tem vontade de ler? Espero que tenham gostado da resenha. Beijos!

Anúncios
Post anterior
Deixe um comentário

1 comentário

  1. Diário de Zlata já caiu em muuitas provas! HAHAH até tenho vontade de ler, mas ando meio desgastada de livros que envolvem guerra. Exceto THG (<3)
    Beijos ♥

    <http://www.conspirantes.com/

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Olá! Me chamo Esther Sampaio, tenho 14 anos e sou de Salvador/Bahia. Blogueira desde 2011, recentemente mudei o meu blogger Cantinho da Menina Cristã para o wordpress, com um nome mais pessoal. Nasci em lar cristão, sou apaixonada por livros e maquiagem desde pequena; não sou nada tímida, gosto de ajudar as pessoas. Quero cursar Psicologia e Design Gráfico. Se sintam a vontade para opinar aqui. Beijos!

%d blogueiros gostam disto: